Ilha dos primatas

Badoca Safari Park inaugurou em Março de 2009 um espaço único em Portugal – As grandes Ilhas de Primatas. A sua dimensão e complexidade, recriando um ambiente natural, fazem desta instalação um espaço simplesmente espectacular.Para ocupar as três ilhas habitam no parque uma família de chimpanzés comuns (Pan troglodytes), uma família de babuínos sagrados (Papio hamadryas) e uma família de mandris(Mandrillus sphinx).
Esta infraestrutura, única no nosso país, pelo seu espaço e condições, é uma mais valia na sensibilização do público para a temática da conservação. É nosso objectivo que estes animais, embaixadores dos seus congéneres selvagens, possam sensibilizar os visitantes para a importância da preservação e conservação não só das espécies ameaçadas, como também dos seus habitats.Este local, veio enriquecer a colecção animal do Badoca Safari Park, uma vez que este parque temático recebe assim espécies catalogadas pela IUCN (International Union for Conservation of Nature) como ameçadas de extinção, ou vulneráveis no seu estatuto de conservação, que se encontram abrangidas pelos Programas Europeus de Reprodução em Cativeiro levados cabo pela European Association of Zoos and Aquaria (EAZA).

Sobre o Projecto:

Pretende-se com esta infra-estrutura, recriar um ambiente natural para a detenção de grandes primatas de forma a proporcionar-lhes condições similares às do estado selvagem, promovendo comportamentos inatos às espécies em questão.O projecto é composta por três ilhas, com cerca de 1600m cada, e uma zona de recolhas central que permitirá um maneio das espécies em perfeitas condições de segurança e bem estar animal, de acordo com a legislação em vigor.
Os perímetros dos lagos envolventes às ilhas foram desenvolvidos para dar maior naturalidade ao recinto exterior dos primatas. Tivemos como referência o consenso que existe entre os especialistas a nível mundial no que se refere ao desenho de instalações.

A equipa de cuidados médico-veterinários do Badoca Safari Park estabeleceu um detalhado programa de Enriquecimento Ambienta. Assim, o ambiente dos espaços de recolha e de exposição estão enriquecidos em função das exigências comportamentais das espécies detidas. Todas as semanas são introduzidas novidades estruturais no ambiente ou modificações nas instalações de modo a estimular comportamentos semelhantes a um animal saudável no seu habitat natural. Como exemplo temos a forma de alimentação dos animais que é realizada tendo por base a novidade, variedade e recompensa. O alimento pode apresentar-e escondido, inteiro ou disperso e a variedade é mto importante para o paladar e por isso integra gelatina, sumo de laranja, frutas várias, iogurte, arroz, ovo cozido ou legumes.

Temos em todas as instalações sistema de rega para promover o crescimento da vegetação nas ilhas baixando assim a temperatura ambiental.

Estará ainda contemplado brevemente um espaço para sessões pedagógicas de sensibilização ambiental para todos os visitantes do Badoca Safari Park

Os chimpanzés do Badoca Safari Park

A família de chimpanzés comuns (Pan troglodytes), um macho e três fêmeas habitam no Badoca Safari Park, provenientes do zoo da Maia, onde se encontravam temporariamente, após terem sido apreendidos pelo ICN por se encontrarem ilegalmente detidos em diversos locais.  À execpção de uma fêmea de nome Joana, o grupo chegou ao parque de boa saúde, adaptando-se fácil e rapidamente à sua nova morada, sem sobressaltos.

 

Ema:
Juvenil com 8 anos. Entrou no zoo de onde veio em 2001 (tinha cerca de 3 meses), proveniente de um barco que vinha de África e entrou ilegalmente no país. Gosta de dar coisas às pessoas e adora leite.

Jonas:
Macho dominante com cerca de 14 anos; entrou no zoo proveniente de um circo antes de 1998. Pouco agressivo. Adora cebolas e tomates.

O casal teve uma cria no dia 13 de Janeiro de 2011.

Os chimpanzés são animais muito ágeis e hábeis que precisam de ambientes complexos para fazer as suas demonstrações de força. Devem ter lugares elevados para se sentirem bem e têm uma actividade física constante.

São animais importantíssimos em qualquer colecção zoológica. São um ícone de conservação da vida selvagem desde que Jane Goodall iniciou as suas investigações em 1960 na Tanzânia. A importância é que desde então estudos fisiológicos, etiológicos e de restos fósseis demonstraram uma incrível similaridade entre estes animais e o ser humano. Os chimpanzés apresentam uma cultura básica, sendo capazes de resolver problemas usando a inteligência abstrata. Têm capacidade de decisão, de empatia e de coloca-se no lugar do outro especulando sobre os pensamentos alheios.

Na história da evolução das espécies são nossos “parentes chegados” e partilhamos com estes um ancestral comum. O primeiro primata conhecido apareceu na terra há 70 milhões de anos. Os primeros homínidos (Australopithecus) há cerca de 6 mihões de anos e os primeros homens (Homo sapiens) apena há 50.000 anos.

Partilhamos com os chimpanzés aproximadamente 98,4% do código genético.

A sua presença no Badoca Safari Park dá-nos a oportunidade de falar sobre a conservação dos bosques tropicais e o tráfico destes animais para comercializar a sua carne (“bushmeat”), o uso de animais em experimentação biomédica, o tráfico de animais e a própria história da evolução.

Os chimpanzés são animais muito ágeis e hábeis que precisam de ambientes complexos para fazer as suas demonstrações de força. Devem ter lugares elevados para se sentirem bem e têm uma actividade física constante.

Os Babuínos do Badoca Safari Park

Provenientes do zoo de Madrid, chegaram ao Badoca Safari Park  quatro machos e sete fêmeas de Babuino Sagrado (Papio hamadryas). Desde essa altura têm estado em instalações destinadas à sua adaptação.

O grupo de babuínos do Badoca Safari Park forma uma família muito complexa, unida, em que o macho dominante defende sempre o resto dos indivíduos. É também este o primeiro a comer, elegendo primeiramente aquilo de que mais gosta.

O que fazer?

Um dia em cheio no Alentejo