Sessão de Alimentação dos Lémures

Aproveite a oportunidade, única em Portugal, de interagir e alimentar esta espécie de primatas em vias de extinção.

Horário: 11h00/15h00
Por motivos de natureza técnica, climatérica ou zoológica, algumas actividades poderão não estar disponíveis e os horários das mesmas podem estar sujeitos a alterações, contudo o Badoca Safari Park não garante o reembolso do bilhete.

 

Conheça o trabalho de conservação dos lémures levado a cabo no Badoca Safari Park.

Tendo como cenário a fantástica Ilha de Madagáscar, um tratador convida os visitantes a presenciar, interagir e alimentar os lémures, uma espécie de primatas, em perigo de extinção, que apenas existe em Madagáscar.

Nesta apresentação o tratador alimenta os animais enquanto descreve as características principais da espécie e a sua rotina de alimentação. O trabalho de conservação desta espécie, levado a cabo no parque, é também dado a conhecer. Os visitantes observam com proximidade o comportamento dos animais e podem esclarecer todas as suas dúvidas.

No final da apresentação, basta atravessar uma ponte de madeira, para penetrar
no coração de Madagáscar e conhecer bem de perto os lémures – primatas exclusivos desta magnífica ilha.

Animais que podem ser observados na Alimentação dos Lémures :

A Conservação dos Lémures no Badoca Safari Park

No Badoca Safari Park, habitam duas espécies da grande família dos Lémures – O Lémure de Barriga Vermelha e o Lémure de Cauda Anelada, ambos considerados como espécies vulneráveis no estado selvagem. O Badoca Safari Park utiliza os seus recursos para aumentar a hipótese de sobrevivência das espécies ameaçadas na natureza através da da participação em projectos de conservação in situ e da reprodução para a conservação.

O Badoca Safari Park é membro da Associação Europeia para o Estudo e Conservação dos Lémures (AEECL), um consórcio de 16 zoológicos europeus que reuniram esforços para desenvolver projectos de conservação dos lémures criticamente ameaçados em Madagáscar. Através da AEECL apoiamos financeiramente o esforço na conservação do património natural de Madagáscar. Em 2007, uma das principais conquistas foi o estabelecimento de um novo parque natural “Parc National de Sahamalaza-Iles Radama”. Idealmente, a conservação dos lémures deveria ser consequência da preservação dos seus habitats naturais – conservação in situ. Contudo, a conservação in situ é insuficiente, devido à progressiva destruição dos habitats e à captura e caça destes animais. Surge então como de vital importância a conservação ex situ, ou seja fora do habitat natural das espécies, levado a cabo no Badoca Safari Park.

O Badoca Safari Park é o único parque zoológico em Portugal que tem à sua guarda o lémure de barriga vermelha. Dispomos de uma ilha com condições únicas para esta espécie, proporcionando aos animais condições de bem-estar que lhes permitam ter comportamentos naturais àqueles que observamos no estado selvagem e reproduzirem-se. A conservação ex situ é realizada através da participação em programas de reprodução em cativeiro, graças aos quais é possível: conservar estas espécies ameaçadas, diversificar geneticamente as populações em cativeiro e posteriormente reintroduzi-las no seu habitat. Na Europa, estas acções denominam-se «European Endangered Species Program» (EEP) e são coordenadas pela «European Association of Zoos and Aquaria» (EAZA).

Curiosidades

O lémur – palavra que significa fantasma – é uma espécie endémica de Madagáscar, que não existe em nenhuma outra zona do planeta. Os lémures são os únicos sobreviventes da divisão evolutiva de primatas que parece ter ocorrido essencialmente neste país africano. Muitas espécies de lémures estão em vias de extinção devido à destruição do seu habitat, à caça para consumo humano ou simplesmente por serem considerados um mau presságio para quem os vê.

O que fazer?

Um dia em cheio no Alentejo